A Filosofia dos Medievais

           Uma nova abordagem da filosofia medieval levou a falsafa a ser incluída de modo mais consistente no trajeto da história da filosofia, também ocidental. Afinal, se, em boa parte, a história da filosofia medieval foi a história da filosofia escrita e pensada em árabe, isso significa que toda iniciativa que vise recuperar o valor filosófico da Idade Média  deve incluir, necessariamente e de modo positivo, a falsafa.

      Em sua obra "A Filosofia Medieval", Alain De Libera propôs uma visão descentralizada da filosofia medieval cristã de língua latina, procurando incluir de modo positivo outras filosofias que se desenvolveram durante o mesmo período.

        Um breve recolhimento de algumas de suas palavras nos fornece essa distinção: “A história da filosofia medieval é escrita, em geral, do ponto de vista do cristianismo ocidental, mas, filosoficamente o mundo medieval não tem centro. Não só porque o mundo medieval ocidental tem uma pluralidade de centros mas, sobretudo, porque há muitos mundos medievais.” (1998, p.7)

      Esse tipo de movimento e reforma das abordagens a respeito da filosofia dos medievais, permitiu que o interesse pelo estudo da falsafa se tornasse indispensável para reestabelecer o trajeto das ideias filosóficas em sua continuidade ininterrupta.