O Alcorão

               O termo Alcorão  deriva do verbo qara’ que significa ler ou recitar. Para os fiéis, o Alcorão é a palavra de Deus transmitida pelo Arcanjo Gabriel ao profeta Muhammad, o último da sucessão iniciada pelos profetas bíblicos. O profeta entendia que sua missão e as revelações eram da mesma inspiração das anteriores, enviadas aos judeus e aos cristãos e, por isso, coincidiam em parte, sendo uma renovação da mensagem de Deus que fôra anunciada no Antigo e no Novo Testamento.

            O Alcorão fornece instruções acerca da conduta de vida sendo uma fonte ética de orientação para a comunidade. A maior parte das revelações se deu por aproximadamente vinte anos e foi registrada por vários discípulos e secretários. Antes de ser um texto graficamente fixado, o Alcorão foi, pois, uma recitação. 

         O Alcorão apresenta temas tais como a unidade absoluta e transcendente de Deus, seu poder e a condição humana frente a Ele e à sua criação. A imagem do Juízo Final é afirmada como um paradigma pelo qual o crente deve guiar-se. Vários relatos da Bíblia são reinterpretados tais como Adão e Eva, Abraão e Ismael, o Rei Salomão dentre outros.

                Na medida em que exorta a uma vida digna e verdadeira, o Alcorão recomenda a conduta que o fiel deve seguir tanto no âmbito religioso como no moral e político. As bases da legislação e do direito muçulmanos são tributárias dessa legislação inerente à revelação mas, as diversas interpretações desses princípios, levaram os muçulmanos a teses e posições conflitantes próprias da exegese.