À Guisa de Conclusão

            

                  A visão de mundo condiciona nossos atos. O mundo reflete seus cidadãos. A filosofia auxilia nessa construção e nesse encontro. A filosofia nos coloca frente a questões e a soluções que ampliam horizontes e nos fazem acompanhados por pensadores e pensadoras de todos os tempos.

 

               Ao entrarmos em contato com a cosmovisão dos filósofos de língua árabe  uma coisa é clara: a integração das coisas. Hoje em dia, isso ainda parece algo complicado. A fragmentação e o estilhaçamento da cosmovisão dos nossos dias dificulta que possamos ter uma visão mais integrada da realidade. Mas alguém pode dizer que, talvez, a realidade não seja integrada. Essa é uma questão. Mas o refúgio da integração no interior de nós mesmos é o princípio de uma realidade sadia.

               Avicena era médico e escreveu uma obra chamada A Cura, que era uma obra de filosofia. Qual é, então a cura trazida pela filosofia? Essa obra é um conjunto de todas as ciências conhecidas da época. Avicena realizou uma grande síntese. Será que ele colocou em sua obra tudo o que havia de conhecimentos em sua época? Não, é claro que não. Mas certamente colocou tudo ou quase tudo que ele sabia num conjunto ordenado segundo a sua própria organização. A cura é a integração dos conhecimentos a partir de uma cosmovisão própria. Isso é sadio e filosófico.

           Se a cosmovisão do mundo é o retrato da alma dos humanos, cosmovisões integradas geram humanos integrados. Por isso vale a pena ler os falasifa. Eles respiram e transpiram integração do mundo, da alma e do humano.

 

                 Para qualquer construção de si mesmo …

                 Vale estar nas proximidades…

                 Vale escolher boas companhias…

 

                Aquece-te, pois, à luz dos sábios.