Os Períodos da Filosofia

            É comum a periodização tradicional da filosofia antiga se iniciar com Tales de Mileto ( 624/546 a.C.) e terminar com Plotino (204/270 d.C.). Em seguida, acomoda-se o período da filosofia cristã nascente – a patrística – chegando até a morte de Santo Agostinho (430 d.C.) que, praticamente, coincide com o fim da Idade Antiga.

        

         A partir do século V d.C., os pensadores encontram-se sob uma tradição filosófica dividida em dois mundos: o mundo do Ocidente de língua latina e o mundo do Oriente de língua grega. Do lado ocidental, a filosofia medieval foi, praticamente, uma filosofia cristã tanto do ponto de vista de suas intenções como pelos seus próprios representantes. Do lado oriental, a patrística grega preparou o caminho para a recepção da filosofia antiga para o mundo árabe.

       A recepção da filosofia antiga por Al-Kindi, as teses de Al-Farabi, a sistematização da obra de Avicena e as reformulações de Averróis foram realizadas no período seguinte entre os séculos VIII e XII d.C. Esse é, portanto, o período clássico em que selocaliza a falsafa na história da filosofia.

 

        O contato crescente entre o Ocidente latino e o mundo islâmico foi o responsável pela introdução da ciência e da filosofia  na Europa. Nessa época, um grande volume de tratados e novos conhecimentos encontrou  solo fértil nos pensadores ocidentais e alicerçou as condições para o Renascimento europeu.